Mosteiro de Santa Cruz de Viana do Castelo

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADPTG/MON/MSCVC
Title type
Formal
Date range
1820-07-31 Date is certain to 1820-08-12 Date is certain
Dimension and support
1 doc.
Biography or history
Em 1560, ao visitar Viana, o arcebispo de Braga D. Frei Bartolomeu dos Mártires decidiu fundar na vila da foz do Lima um convento que albergasse uma comunidade dominicana. Em Novembro desse ano Frei Henrique de Távora, representante do arcebispo, dirigiu à Câmara de Viana o pedido de fundação do convento na zona da Rua de São Sebastião. No ano seguinte a regente D. Catarina emitiu o alvará régio permitindo a fundação, pelo que os frades dominicanos iniciaram a compra dos terrenos onde iria ficar sedeado o complexo conventual. No mesmo ano, pela bula "Ad perpetuam" de Pio IV, de 11 de Setembro, o Mosteiro do Salvador da Torre foi unido ao de Santa Cruz. No ano de 1562 foi nomeado pelo Arcebispo o primeiro vigário do convento, Frei Jerónimo Borges, que embargou a obra já feita entretanto mudando a localização do templo para a zona de Altamira, onde se iniciou a obra de construção dos dormitórios, concluída no ano seguinte. Em 1566, com o Arcebispo já regressado do Concílio de Trento e definitivamente instalado em Viana, procedeu-se à cerimónia de lançamento da primeira pedra da igreja, sagrada então pelo seu fundador como convento de Santa Cruz. Em Agosto de 1571 celebrava-se, no dia de São Domingos, a primeira missa no templo dominicano. Até 1576 seria edificada a fachada do templo, e somente nessa ano o Convento de Santa Cruz ficaria finalmente concluído. Em 1607, D. Jorge de Ataíde empreendeu a construção do sarcófago para frei Bartolomeu dos Mártires. Em 1615, foi fundada a Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios, pelo prior frei Cristóvão de Brito e a Confraria de Nossa Senhora do Rosário. Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo. Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional. Também designado por Mosteiro de Santa Cruz de Viana do Minho, Mosteiro de São Domingos de Viana do Castelo e Convento de Santa Cruz de Viana do Castelo.
Geographic name
Viana do Castelo
Scope and content
Constituído por um processo de inquirição de genere, vita et moribus
Arrangement
Fundo constituído por um só documento
Language of the material
por
Other finding aid
DIGITARQ